Notícias

Acompanhe o trabalho do deputado Marcos Vieira



18/09/2017 Oeste se prepara para um novo ciclo de desenvolvimento


Oeste se prepara para um novo ciclo de desenvolvimento

 

 

Novo corredor de importação do milho do Paraguai, passando pela Argentina, vai possibilitar salto do agronegócio

 

 

A importação do milho do Paraguai, passando pela Argentina e chegando até Dionísio Cerqueira, no extremo Oeste catarinense está sendo chamada como a salvação do agronegócio catarinense. A operação do processo e os trâmites burocráticos entre os países foram os temas de um encontro no dia 15 e 16 de setembro na cidade de Encarnación, no Paraguai.

 

Representando a Assembleia Legislativa de Santa Catarina, o deputado Marcos Vieira enfatiza que com essa ação está se criando um novo polo de produção e processamento de alimentos da América Latina. “Atualmente o milho consumido na criação de suínos e frangos vem do Centro Oeste Brasileiro, e o preço do frete está inviabilizando a expansão e até a manutenção da nossa produção animal, então, este novo caminho é a salvação de milhares de empregos em Santa Catarin, e de um setor que é fundamental para a nossa economia. Além de fortalecer os laços produtivos entre os três países”, disse o deputado Marcos Vieira. O preço do frete do Centro Oeste é quase o triplo do preço caso seja adotado o novo modelo, passando pelos países vizinhos.

 

O novo caminho traçado terá um trajeto feito por balsas de transportes pelo Rio Paraná, sendo que apenas uma balsa pode transportar até 18 caminhões com capacidade de ate 45 toneladas cada um.

 

O Paraguai produz cerca de 6 milhões de toneladas de milho/ano, enquanto que em Santa Catarina, que colhe cerca de três milhões de toneladas/ano consome o dobro do produto.

 

Representantes das associações de criadores, produtores, transportadores e exportadores, além de prefeitos e sindicatos e governos de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul, Paraguai e Argentina passaram a sexta-feira e o sábado debatendo as formas de flexibilizar a passagem alfandegária e os frutos dessa parceria. “É um gigantesco passo, mas é um passo que precisa ser dado de forma urgente, por isso agradecemos o empenho das lideranças brasileiras que aqui vieram debater este assunto”, revela o Governador da Província de Itapua, no Paraguai Federico Aguerro..

 

No encontro em Encarnación foi firmada uma carta de protocolo e a expectativa é de que nos próximos 60 dias possa acontecer o primeiro transporte de milho pela nova rota

 

O governo de Santa Catarina foi representado pelo secretário Adjunto de Agricultura Airton Spies.